EXPELIDO

home    message    submit    archive    theme
©
Leomas Hercules (@TrespassingJ), 18, Brazil.

o sonho quer realizar, este é o Seu trabalho, querer se tornar real. querer, quantas definições para um sonho. ser o que és, ser o que quiser. demonstrar todo talento e vontade numa folha de papel. tão frágil e valioso, tão controlador e sadomasoquista. dinheiro, identidade, apenas um contrato. podem te fazer voar ou apenas te deixar enterrado. mas o que é querer estar nos céus sendo puxado ao chão? tudo tem limites, não conseguiu processar? é assim que o sonho escolhe sua próxima caça. ou se perde ou se ganha. Ele engana, te ilude, te faz afundar em fantasias, te faz querer ser um anjo. mas o que é um anjo perto de qualquer coisa, de uma estrela sem luz? luz, ideia vinda enquanto dormimos, babamos. a estrela sempre se queima quando tenta brilhar, pois sabe que há um céu imenso sobre si e assim será impossível realizar. sonhos, meus, dores dos outros. sonho de estrelas. dores em minutos. minutos em sonhos. todos, sofrendo pelo mesmo árduo trabalho. que quando vai pra casa descansar, já não tem a esperança de ontem, já não tem mais o sonho de anteontem. lá em plena quietude os sonhos querem ficar, sem escravidão de nós seres humanos, e de qualquer estrela que no meio de nós possa brilhar. pare de sofrer sonhos, não chores mais estrela. Nós não iremos mais atordoar.

(Por: @TrespassingJ)

eu nunca vou mudar,
estou em constante mudança.
sensibilidade,
emaranhamento,
segue enfim aquela dança.

aquele calor dentro do quarto,
eletrizado como este.
continuidade,
sentimentos.
todos enforcados pelo 13.

tento ver o mundo lá fora,
mas há apenas cicatrizes na parede.
guiado?
nascido assim?
que calor, sinto sede.
cores e desavenças.
sou apenas um de milhões,
eu me importo? eles se importam?
acho que nunca tiveram esperanças ou misturaram emoções.

nunca entenderam minha condição,
nunca enxergavam minha descrição,
muito menos como funciono.
sou um cidadão?
tudo é fruto da imaginação.
aliás, sou entretenimento.
ou não.
nunca fui bom.
ou real.
sempre fui menino pela atuação.

(Por: @TrespassingJ)

posso ser guiado pelos anjos.
meu corpo é levado às alturas
por gostos amargos de arrependimento,
almas azedas são guias futuras,
famintas,
dóceis pelo julgamento.

minha habilidade é mística.
viajo por cada canteiro
procurando cofres que não pararam de bater.
mas esse mundo é de política vaga.
seus podres riem na sua cara,
dos céus até o menor terreiro,

encontro amigos e famílias,
todos consumidos pela língua,
pela ilusão e sussurro de uma tela.
usam máscaras conforme a sina,
atravessam sons estrangeiros
diante da mensagem do além.

meu corpo capotado,
pelos professores decadentes,
por cada fio arrancado da minha cabeça.
por cada borrão na pele,
entre línguas e dentes.
por essa democracia como punição.

olho pro meu caminho,
o tanto que tenho a seguir
sem armas e ironia,
nada precioso,
só me resta os cativeiros a que cuspir.

onde estarei salvo não sei,
desconheço qualquer coisa comum,
é só lixo,
desamor
e desperdício.
somos um.

e se essa for a condição humana,
prefiro viver completamente
viajante,
esquecido.

(Por: @TrespassingJ)

Faz um tempo que tudo terminou.
Em uma viagem e outra na hora noturna,
Eu ainda sonho com você.
E mesmo que pela manhã eu acorde,
meu delírio não acaba.

Concordo com a injustiça,
Isso é um preço a pagar quando dizemos que amamos.

Você nunca esteve aqui ou ao menos segurou minha mão.
Mas entre uma música e outra você costuma responder.
Em meus sonhos, sua presença sempre quer aparecer,
martelar mentiras e causa bagunça.
talvez esse seja seu dom, filho da puta.

Você diz que não quer perder contato,
Talvez porque você tenha superado.
Eu pensei que tinha superado, tentando amar outro alguém,
Mas logo após longos dias de tortura,
percebo que esse tolo também quer me ver machucado.

Concordo com as marcas que o fogo traz,
Aliás, isso é um preço a pagar quando se perdoa alguém.

Eu não quero começar de novo, meu desejo era apenas continuar. Continuar com nossos risos e costumes, com nossas brigas e ciúmes. Eu não quero começar de novo, pois você nunca será substituído, sempre será o mesmo, cuja lembrança se encontra num quarto escondido. Seus olhos azuis, sua voz, seu carinho, são caminhos que sempre me levaram a um tesouro perdido. Eu não quero começar de novo, não quero ser o outro, o outro de novo.

Prometa que não vai voltar,
prometa não querer recomeçar.
Permita a nossa história continuar…

(Por: @TrespassingJ)

Meu colo está pronto,
Minhas mãos frias.
Se eu te contar o feitiço,
Serás morto.

É como um arco luminoso,
A luz sem luz.
São olhos postos ao céu que arde.
São correntezas pagãs.

É uma força sinfônica,
É um sopro divino,
É ar, terra, fogo e vinho,
Trazendo seu espectro em minha presença.

E quando olho no espelho,
Vejo cores flutuando.
Monstros sem sombra,
Procurando paz dentre a guerra dos homens.

Sou sussurro, sou grito,
Sou gravidade, sou mito.

Não pertenço mais à cadeia,
Fui exorcizado.
Assim como o amor te fez,
Minhas lágrimas viraram água benta,
Pelo poder que me foi dado.

Meu colo está pronto,
Você pode deitar agora.
Mas se eu te contar o feitiço,
os segredos,
Pertencerás a mim na aurora.

(Por: @TrespassingJ)

how many memories
how many stories
how much to think about now
and what I have to scream out loud

I thought I was closer to perfection
following the heart walk signs
but all I had was lying lines
that put me in wrong directions

I want to know the reason
I want to tell you all the story
have my feet fixed with the moon
and let all the unconsciousness pull me soon

I was stealing you from nature
she blamed me
all the beauty and strange figure
she left on my back
all over me

I know the reason
I’ll tell you the story
With my feet fixed in the moon
I’ll give you the end through

you don’t belong to me
your home is not here
I will remain with no place to go
awake
sleep nevermore
sleep nevermore

Sleep a little more baby…

Eu não poderia mais segurar minha respiração.
A poeira virou meu ar,
Toda a sujeira entre meu corpo ela quis exalar.
Tornando sonhos do eu que criei em vão.

Tudo o que via era cru e seco,
Cruelmente devastador.
Intensamente como estou.
Plantado dentre meus costumes sem teto.

Eu não deveria mais perdoar meu coração.
O tempo lentamente passou,
E com minhas graças e prazeres levou.
Toda a dor do seu punho em minha feição.

Nas horas hesitei,
Entre o sorriso e o suicídio,
Fui esquecido, enlouquecido.
Então na melodia escondida meditei.

Eu não deveria mais amar sem razão.
O monte enfim cobriu minha lembrança,
Tornou os ossos num vale de esperança.
E fugiu novamente para a escuridão.

Sou inocência enterrada viva.
Sonhos que partiram para outra elevação…

Faço mover montanhas dentro de minh’alma,
De minha casa.

Pois lágrima que se torna furacão,
Sempre trará calma…

(Por: @TrespassingJ)